sábado, 27 de dezembro de 2014

Colocando ordem na bagunça antes do fim de ano.

Olá! Como vão? Comeram muito nas festas de final de ano? Well, eu nem tanto assim. Hahahaha ~

No feriado de natal fui pra Bragança, o mesmo programa de todo o ano. Infelizmente aconteceram algumas coisas esse mês, que não vale muito a pena contar aqui, então fui mais cedo pra lá. Foi tudo um pouco monótono, mas sempre que tem essas datas festivas é só uma desculpa pra visitar a cidade e minha avó :D
Pra não passar em branco, ganhei lápis de cor (YAY!) e uns cosméticos, além de... Dinheiro! Estava precisando.

Deixando isso um pouco de lado, aproveitei dar uma limpa no blog e planejando um layout (não pensei em nada, só planejei algo novo mesmo). Eliminei muitas postagens desta vez, sem dó, entre memes e postagens diárias que são muito aleatórias mesmo. Nada como começar com boas energias! Em breve, irei repaginar o visual, pois precisa, né?


Por hora, também preciso fazer minha faxina de ano novo. Não que isso seja uma superstição, é um costume que mantenho todos os anos com as coisas ao meu redor. Acumulei tanta tralha (psicologicamente e superficialmente) que preciso jogar fora desde, já!
Sinto que esse ano está demorando pra acabar, sendo que reclamei muito da metade de 2013 pra esse ano, foram os piores, isso porque nem ao menos mencionei 2007 (altas tretas familiares, meus amigos). Gostaria que 2015 viesse com mais força positiva, pois tá feio o negócio, não só pra mim, como para muitas pessoas.
Tenho muita coisa pendente ainda pra resolver comigo mesma e com algumas pessoas, no entanto, acredito que 2014 já deu e preciso esfriar a cabeça no momento e respirar. Cabeça quente não resolve e mesmo sabendo disso, acabo fazendo.

Muito provável que esta seja a última postagem do ano.
Então, desejando pra todo mundo uma ótima passagem e tudo de bom!

Até a próxima ~
"Me traga a vitória!"
Fica a dica, 2015.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Sobre "estar velha demais" sobre algumas coisas e outras nem tanto.

20 de dezembro, chegou o dia dos meus 20 anos. Mal acordo, e já vem mensagens de muitas pessoas e amigas me desejando "Feliz aniversário". Essa data chegou como um teletransporte.



Há alguns dias, enquanto passava pela minha "crise dos 20 e poucos anos", fiquei deitada na cama, dormindo horrores e refletindo sobre todos esses anos em que vivi. Momentos dolorosos, de alegria, de neutralidade, etc. Não gosto de lembrar de certas atitudes que tomei que acarretaram em coisas nas quais não tenho muito coração e psicológico pra aguentar.

Questiono se só eu passei por isso (não exatamente desta maneira, claro).

Por favor, não mencione o passado.

Apesar de não curtir as menções passadas, é como a canção da Elsa, do filme Frozen, cita: "Não vou me arrepender, do que ficou pra trás!". Apesar da dor que ainda me persegue um pouco, é por causa dele que estou um pouco mais forte e pronta para aguentar quase impacto maior e não pisar nos mesmos erros. Eu sou um ser humano, que chora, que grita, que sorri (mesmo que pouco), que dá risada das coisas simples e que acima de tudo... Sou uma pessoa comum. Foi duro aprender, de verdade.

No entanto, cheguei a outro passo, na qual vou precisar me superar mais uma vez.

Estou praticamente a um passo da vida adulta, uma vida onde nada é 100% legal. Preocupada em conseguir um bom estágio, um bom emprego, uma boa carreira. Não só isso, como também estou rodeada de pessoas com o julgamento de "não acha que está na hora de parar de gostar de certas coisas?". Hã? Só porque gosto de... Dragões, bichinhos fofos, vídeo game onde um encanador salva uma princesa, entre outras coisas "estranhas"?
Eu sou do tipo "oi, quem é você mesmo?", normalmente sempre causo um pouco de discórdia, pois, como diria minha amiga, sagitarianos tem uma sinceridade que só jesus na causa, aí junta com um pouco de ansiedade e a péssima mania de dizer o que pensa na hora e... Prontinho! Capaz de causar uma III Guerra Mundial, não esquecendo que ironia e sarcasmo puxei da mamãe, que atura todo tipo de gente. Posso dizer que esse ano aprendi a não ter tantas papas na língua assim, pois tenho bom senso da situação e mamãe novamente ensinou a "diplomacia para aplicar em gente com mente de carroça vazia e de caixinha". Como disse em algumas postagens anteriores, muita coisa mudou pra mim, principalmente em questão de personalidade. Realmente, acredito que toda essa fase é uma preparação para eu aguentar certas, blergh, coisas da vida.

O lance de "ficar velha pra certas coisas", pra mim, era praticamente o mesmo de "isso aí é fase, depois você cai na real e para de gostar desses negócios aí". Claro que ambas as frases tem suas leves diferenças. No entanto, tipo, sempre fiquei de cara amarrada quando ouvia isso. Não sei, o fato da pessoa simplesmente me julgar só porque estou velha pra curtir determinado estilo ou ter um pensamento completamente o oposto do esperado é algo que, francamente, me irrita. "Imaturidade" e "gosto pessoal" são opostos, muito opostos, aliás e não me faz melhor ou pior.
Imaturidade, posso dizer que todos nós temos essa fase, que agimos por "modinha" (era tipo eu, de 2~4 anos atrás, xingando essas fãs de bandas coloridas) ou porque não temos noções das coisas ao redor. Nesse ponto, digo com orgulho que não tenho mais essa mentalidade, e aí sim, "estou velha pra esse tipo de coisa", errei mas aprendi. Então, no caso dos gostos pessoais, só significa que você... Simplesmente gosta de alguma coisa, oras. Creio que as pessoas acabam indo muito na onda do "tal pessoa não curte minha banda, vou julgá-la e deixa-la no chão" (essa é a impressão, na minha visão atual) ou acabam generalizando de uma forma muito absurda. É tipo essa galera, que julga pessoal que, sei lá, joga, por exemplo, League of Legends e os xinga de "bando de criança virjona e sem vida". Não sei vocês, mas faço muita questão de julgar muito mal quem tem esse tipo de pensamento. Não deveria, mas faço.
Não falando, não com atos, só de pensamento mesmo, afinal, carroça vazia sempre faz mais barulho, sempre chama E QUER atenção.

"Facepalm", é tudo o que tenho a mostrar sobre.

Em resumo, o que quero realmente dizer, é que com 20 anos ainda vejo pessoas na minha vida com o objetivo de me encaixarem em SEUS padrões, não são nem padrões sociais tipicamente falando.
Se me recuso a usar uma saia, não é porque sou menos mulher, e sim pelo motivo de "não gostar", apenas isso. Se eu curto uma banda de rock, é porque gosto do seu som. É muito entender coisas tão simples?
A frase "essa sua fase deveria ter acabado", "está velha pra isso", "não deveria usar esse tipo de roupa pra sair" e entre outras similares me incomoda. Me incomoda também outras pessoas virem mostrar ou apontar, ter a cara de pau de me soltar um: "você não acha que fulano já não tem mais idade pra fazer essas coisas?", de graça das outras.
Não nego, é complicado não julgar, só que desrespeitar alguém por conta disso já acho completamente desnecessário.
Não é porque leio "Percy Jackson" que vou deixar de ler "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (se eu gostar dos dois? Como faz?) ou se gosto de ficar em casa não me impede de sair (e pode ter certeza que ainda vão falar "você não tem idade para esse tipo de programa de fim de semana").
É muita furada e pouca paciência pra isso.

Sendo assim, tudo que tenho a dizer é:

Isso é tão engraçado que me faz vomitar.

Será que é complicado entender que, gosto é gosto e cada um é cada um? É muito fácil você se encaixar num padrão para agradar a terceiros. Se pararmos para pensar, passamos uma vida toda tentando agradar os outros e não a si mesmo.

Se eu gosto de fotos preto e branco, não me faz depressiva; se curto tomar café do que uma bebida alcoólica não me faz "adulta"; se gosto mais da vida noturna, isso não prejudica meu matutino; gosto de desenhos, isso não em faz ter mentalidade de criança, e o principal: Idade não define maturidade.
Conheço crianças de 13 anos muito mais maduras do que adultos de 22 anos pra mais.

Uma pena, pois de vez em quando, somos forçados a vestir uma máscara para ficar em "paz". Não gosto, não curto, só há casos que isso acaba sendo "forçadamente necessário" para ninguém ficar apontando o dedo, pois nossa paciência é curta e tem limite, pelo menos a minha.

Enquanto uns preferem ir na balada, porque não posso ficar em paz e saborear minha individualidade um pouco? Eu tenho que gostar das mesmas coisas que todo mundo? E quem foi que criou essa regra de "não pode curtir isso, pois já passou da idade"?

Honestamente. Humanos são criaturas problemáticas.

Olha, cada dia mais acho que as pessoas tem ficado chatas. Sei que eu, Monica, sou muito chata, mas não é pra tanto. É como cita a mais recente coluna do Fabio Porchat (ótima e recomendo a leitura): "... Me dá a impressão de que as pessoas só estão querendo reclamar. De qualquer coisa. Como aquelas idosas de cidade do interior que não têm assunto e começam a falar mal de todo mundo para puxar assunto".

Agradar as pessoas está realmente complicado... Mas quem liga? LET IT GO, AMIGOS!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Refletindo sobre "finais de ano".

18 de dezembro de 2014, 2h00 da manhã. Não consegui pegar no sono, isso porque, literalmente, dormi de tarde. Dormi mesmo. Estava cansada do estresse que o semestre da faculdade me tomou, é como se todas as minhas energias focassem só pro meu ambiente de estudos e mais nada.

Resolvi assistir uns vídeos no Youtube, reblogar coisas no Tumblr e no We♥It, ler notícias no Twitter e no site do Estadão. É, nada de muito novo para uma pessoa que está, oficialmente, de férias. Parei pra pensar se essa "leve dormida" que dei não foi somente por cansaço, mas por todas as coisas que aconteceram comigo esse ano, e precisava de uma pausa em tudo. Senti que 2014 está sendo (ainda não acabou!) um ano chato pra muita gente... Não sei se poderia dizer que meu está sendo chato. Lógico, aconteceram muitas coisas que não gostaria que tivessem acontecido, no entanto, "faz parte", digamos assim. Muita coisa deixei pra trás, coisas que queria e não queria, muita coisa abri mão. Posso dizer que esse meu ano está  mais para refletir se, isso que estou seguindo, é o que realmente desejo.

Dezembro é um mês na qual as pessoas fazem promessas e metas para a vinda de um novo ano. Também é mês do meu aniversário, completo 20 anos em plena crise, porém, isso não é assunto para agora, certo?
De qualquer maneira, resolvi que não iria fazer mais listas com metas, mas sim tomar decisões para poder realizá-las.


Independente de tudo, 2014 ainda não acabou. Passou rápido, mas não está finalizado ainda.
Estamos em um período de férias, de festas, de luzes e decorações natalinas... Infelizmente para mim essa magia acabou e agora estou entrando nesse ciclo, não tão feliz assim, de refletir para poder seguir em frente. Chega a ser doloroso, no entanto, é necessário.

Neste exato momento, enquanto ouço "Suedehead", estou tentando eliminar as bobeiras que fiz e florescer. Um processo realmente complicado, mas reflexivo e importante. Poderia estar tomando um café, porém depois de finalizar esse texto, vou me deitar novamente, repetir esse ciclo.

Depois de tudo que aconteceu do meio do ano passado, agora e em diante, parei com simples listas e resolvi "refletir", sobre minha vida e "finais de ano".

sábado, 13 de dezembro de 2014

One Lovely Blog Award.

E aí, pessoinhas! Já estão de férias? Bem, eu no momento só estou "de licença", pois acabei pegando um exame (na qual tenho que ir quarta-feira) e adivinha? É da matéria que mais me descabelei esse semestre. Não comentarei muito, antes que eu me "empolgue" e fale coisas não muito bonitas sobre a pessoa que pode ser "jurado da minha banca de TCC", hahahahahahaha -n

Estou estudando pra prova e ajeitando a bagunça do semestre que passou. Acabei burlando meu horário de estudo para assistir de madrugada "Gekkan Shoujo Nozaki-kun", que ó, é muito bom! No começo achei que era um ~shoujo~ muito comum (sendo sincera, não curto muito esse gênero), porém fui facilmente convencida e assisti numa paulada só e dei altas risadas! Mas o que resolvi fazer nessa postagem? Fui indicada pela Shana (há alguns muitos e muitos dias atrás) em um meme super gostosinho de responder. Não sou muito boa para indicar pessoas para TAGs, até porque grande parte das pessoas que já conhecia já respondeu (isso que dá demorar pra responder, né?), quem não respondeu, sinta-se a vontade para fazê-lo. Comentem com o link das respostas de vocês, ok ok?



1. Por que decidiu criar um blog e quando começou?
Não tive um motivo para criar, pode-se dizer que é para experimentar a internet. Como assim? Vamos voltar no tempo, mais precisamente em 2002 ~ 2003 (vish). Comecei a mexer mais profundamente e descobrir muitas coisas, foi quando criei meu primeiro email (no Bol, haha ~), vi que o servidor tinha outras ferramentas e lá estava o blog (que o sinal era [ou é ainda] sempre ".zip.net" no final da URL). Já tinha lido algo bem por cima, algo como "diário virtual da web", você podia postar suas bobeirinhas diárias e... É, curti a coisa toda e resolvi criar. Simples.
Eu era tão noob que não sabia nem colocar aqueles layouts de template shop ("Vickys", "Thomoeda"... alguém lembra?) direito. Bons tempos xD

2. Quais benefícios o blog te traz?
Acho que é um ambiente onde você pode escrever seus pensamentos, isso vai desde algo legal até mesmo um desabafo. A parte de personalização (HTML, gadgets, etc) me chama atenção também.
O legal é ver que você pode trocar ideias com outras pessoas e ver que surgem amizades muito boas, só pelo fato de você ter escrito alguma coisa que a pessoa achou interessante (mesmo que seja "qualquer coisa"). Ah! Ajuda a escrever melhor ♥

3. Qual é o post mais acessado?
Um post de 2010, na qual chorei as pitangas de emoção por ter passado na escola. Hm, senti uma vergonha alheia pela escrita do post... Se bem que eu era uma outra pessoa na época.

4. Você usa as redes sociais?
Usava o Facebook, hoje em dia não faço mais questão. Minha foto de capa e de perfil tá a mesma há meses e não posto mais nada na timeline. O máximo que eu faço é ver se tem algo que meus amigos me marcaram. Pensei até em fazer um novo perfil, mas vou abandonar de qualquer maneira, então... Deixa, né? Acho que extrapolei, hahahaha ~
Hoje em dia uso mais o Twitter e o Instagram. Ninguém me torra o saco e só sigo gente que de fato faço questão. Como vi no post da Shana, sinto falta do MSN (e não, o Skype não tem a mesma magia).

5. Como o blog tem evoluído?
Não sei responder essa pergunta com precisão, porém posso dizer que ele evoluí junto comigo. Já tentei fazer resenhas e outras coisas mais variadas, mas vi que muita gente já fazia (muito bem, aliás). Resolvi manter a linha de "diário virtual" e "cantinho", no entanto, com uma escrita mais "madura" ao mesmo tempo "informal", ainda atrativo e que as pessoas possam se identificar. Afinal, sou humana, não? Já fiz uma limpa nas postagens muitas vezes por serem desnecessárias, hoje me sinto bastante satisfeita com ele!

6. Já viveu algum fato importante por causa do blog?
Só pelo fato de eu ter criado esse blog já é um fato importante. Me ajudou a amadurecer, extravasar a raiva quando necessário e me proporcionar a troca de ideias com outras pessoas sobre qualquer assunto. :D

7. De onde nasce a inspiração para escrever e continuar com o blog?
Da minha alma e das pessoas que leem e comentam (de verdade) as postagens. Pode parecer muito bobo, antes um comentário que gostou do que escrevi, do que "like" que qualquer pessoa dá e em grande parte, nem vê direito se é foto ou uma nota.

8. O que você tem aprendido a nível pessoal e profissional esse ano?
A nível pessoal: Tomar mais cuidado com o que escreve, independente do que seja, é muito importante. Atualmente as pessoas levam as coisas pro lado pessoal, qualquer escrita "mal interpretada" causa a discórdia. Não dá pra entender...
A nível profissional: Apresentação, boa escrita, expressão e acima de tudo, fazer um bom trabalho!

9. Qual é sua frase favorita?
"A vida é uma eterna ironia", na verdade é uma frase que ~inventei~, só acabei adotando pra minha lista de frases. A vida é uma caixinha de surpresas, muitas vezes cômica ou trágica.

10. Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo do blogs?
Não faça nada por obrigação. Não faça nada para ganhar fama. Não faça esforços inúteis, sério. Faça tudo com amor e um pouco de dedicação é sempre bom, pro seu blog e pra você mesmo.

11. O que os blogs que você vai indicar tem em comum?
Vou responder um pouco diferente, já que não sei quem indicar. :(
Grande parte dos blog que eu vi esse meme, todos tem personalidade e fazem as postagens porque gostam de fazê-lo. Gosto de personalidade e acima de tudo, nada robótico e "comum". São poucos que conseguem fazer isso e são poucos que você sente que realmente fazem porque gostam.


Por hoje é só. Até a próxima! ;D

sábado, 6 de dezembro de 2014

4 on 4 - Dezembro

ÉÉÉÉÉÉÉÉ... Esqueci de novo da data. Desculpa, gente D:
Sempre esqueço de programar as postagens pro horário quando sei que vou ficar sem internet ou pra justamente posts que tem "data pra sair", mas bem, isso não vem ao caso.

Minhas provas, enfim, acabaram. Agora sim estou com um pouco mais de tempo livre enquanto não sei se peguei algum exame (espero que não, hehehe ~).



4 on 4 - OBJETOS QUE NOS REPRESENTAM

O tema desse mês é pegar objetos que nos representam. A sugestão foi minha, mas eu a vi em algum blog e achei super válido trazer pro nosso 4 on 4. Vale de tudo, o que importa é que eles nos represente de alguma forma.


1- Desenhos
Desenhos e materiais de desenho (diga-se no geral: qualquer coisa que envolva criatividade, desenho, colagem, etc e tal) sempre fizeram parte de mim! Cada dia mais estou me aprimorando, aprendendo e desenvolvendo com materiais melhores ou com... Qualquer coisa. Na foto é o meu penúltimo trabalho da faculdade, que por sinal, também envolvia desenho (mais precisamente, croqui).



2- "Qualquer coisa" pra ler
Quando digo "qualquer coisa", incluí até mesmo um banner do metrô e bula de remédio. Não posso ver letrinhas, automaticamente eu leio, é inevitável. É lógico, adoro ler mangás nas horas livres e quando estou esperando o transporte público. Resolvi fotografar esses dois pois estão em japonês, não sei muito (na verdade estou retomando, já que eu não leio NADA, NAAAADA de japonês há uns 8 anos e esqueci muita coisa), mas como são letras [?] e eu leio basicamente de tudo, idiomas também estão incluídos, mesmo que não tenha nenhuma fluência sobre a mesma.



3- Coisas fofas
Não parece, mas eu os adoro! Principalmente morangos (que parando para pensar agora, como não fotografei nada do gênero?) e bichinhos não tão comuns assim. Representei com o Yoshi, que ganhei da mamãe do brinde do McLanche Feliz (porque gosto de Yoshi, se reclamar, vou tacar os meus de pelúcia na sua cara *mentira*).



4- Computador (e o ambiente em que está)
Bem mais que o celular, o computador me representa muito! Muito mesmo! O meu ainda é o XP, (sim, eu necessito trocar de software, já não está suportando mais as próprias atualizações), mas sobrevivi muito bem com ele, mesmo travando o CorelDraw (o que me deixou maluca e de coração na mão muitas vezes), esse computador está comigo há um bom tempo. Fora ele, seu ambiente me possibilita colocar minhas tralhas (reparem que não tirei foto da mesa em si, pois tava cheio de papelada e rascunho da faculdade, hehehe) que também me representam *bagunça, cof cof*.

Quer saber mais? Leia as outras postagens: 4 on 4.


É isso, pessoal! Por enquanto é só, e novamente, desculpem pelo atraso.
Não se esqueçam de olhar as fotos do projeto das outras meninas! Conto com vocês!


Dê uma espiadinha nesses links também:

Até a próxima!