domingo, 15 de outubro de 2017

Sobre "prestar atenção" nas músicas


Recentemente estava arrumando minhas músicas. Retirando nomes_colocados_desse_jeito.mp3, colocando tudo bonitinho e com nome do artista (e até a capa do álbum, se eu lembrar de onde que é).

Ironicamente, abri meu YouTube pra deixar alguma coisa rolando, enquanto eu fazia uma limpeza básica, arrumando alguns nomes, e apareceu uma música chamada Eclipse, da Lindsey Stirling. Não estava lembrando de que álbum era. Quando cliquei pra ouvir, me espantei que era uma faixa de um dos álbuns que mais gostava dela: Shatter Me. Fiquei me questionando o porquê não lembrava, nem sequer do som. Até abri o Spotify, no perfil da artista, e lá estava ele ali. Talvez na época quando foi lançado, ouvi e nem sequer prestei atenção, já que estava muito ansiosa por Roundtable Rival (que ainda é a minha preferida).
Ouvi Eclipse no looping e percebi o quanto aquela música me representava! Fiquei me debatendo dos motivos de não ter dado devida atenção.

Percebi que não era a primeira vez que isso acontecia.

Abria meu Spotify e (ou)via algumas músicas do Imagine Dragons que não me lembro se ouvi anteriormente, como a On Top Of The World e Monster. Ambas não são super famosas, mas não totalmente desconhecidas também. Não sei se é alguma espécie de "memória seletiva" ou se as músicas (e seus significados) só vêm a tona quando você não tem mais o que fazer e precisa de músicas novas no seu repertório.

Ás vezes me sobe uma vergonha de "é super conhecida mas nunca parei pra ouvir, de fato". Desde então, tento prestar mais atenção nos álbuns e novas músicas dos meus artistas preferidos... Ou esperar que eu esteja num momento de caçar coisas novas ou que não esteja nos meus melhores momentos, só para essas músicas aparecerem.

Ah, essas ironias que só a música me proporciona...