sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Como conheço músicas novas?

Edit (28/08/2017): não sei por quê raios os players do Youtube não estão aparecendo e ainda estão assim deste que esse post saiu. Não sei o que fazer pra aparecerem, pois já tentei de tudo :(
Edit 2 (30/08/2017): Consegui ajustar! Acho que agora vai! /o/
Aproveitem a música!

Olá! Tudo bem, tudo bom com vocês?

Vim trazer uma blogagem coletiva do Together e com uma postagem que veio a calhar: raramente falo de música aqui, então, é bom expandir um pouco os ares além das postagens pessoais que faço.
Sem mais delongas, resolvi encher esse post de players. Não sei se vai travar ou demorar a carregar, mas espero que isso não ocorra (e que vocês conheçam um pouco do meu gosto musical).  

Como eu conheço músicas novas?

Pra falar a verdade, acho que não tem muito o que eu falar... Grande parte das vezes é bem aleatório. Porém, no entanto, toda via sempre tenho aqueles ~programas~ camaradas pra me ajudar quando realmente estou procurando inovar minhas playlists.



terça-feira, 22 de agosto de 2017

"Moda" não é bancar a blogueira ou ser só estilista

Quando se escolhe "Moda" como curso, você aprende muito mais do que ser apenas uma superfície de roupas, cabelo e uma maquiagem bem elaborada. Aprende que Moda, acima de tudo, não é somente SPFW! Não é somente glamour! Na verdade, o glamour é fachada. É um leque de opções além de ser estilista ou aprender a costurar. É trabalho dobrado pra se destacar, é suar literalmente a camisa, borrar a maquiagem de chorar, torcer pro público alvo entender seu conceito e não cair na mesmice, se estressar quando vem aquele(a) cara de pau pegar toda sua ideia e ainda ganhar os méritos.

Não adianta ser super bem vestido(a) por fora e ser uma pessoa podre, péssima, que acha que é "super tendência" xingar o look alheio e não ter empatia por dentro. Não adianta nada saber o nome de um zilhão de estilistas, quais coleções fez, que tipo de peças gosta, se não sabe extrair a essência de cada um e o que pode aprender (ou não) com eles. Não adianta você bancar o(a) blogueiro(a) ou influenciador que consegue entrada pra desfile, se tudo o que você expressa é superficial, que não acrescenta em nada, finge que sabe, que é óbvio que tá na moda porque... Está na moda. Se você quer ser diferente, por quê está vestindo a mesma roupa da vilã da novela ou implorando o batom aquela youtuber está usando no vídeo dela? Você realmente curte? É a sua vibe? Se sim, se joga e não liga se isso "passar de moda/estação" ou "nossa! Você ainda usa isso?". Se você se identifica e gosta daquilo... SÓ VAI! SÓ VAI! Ah! E não tem nenhum problema se passar anos e anos e você já não gostar mais daquilo. Pessoas se transformam por dentro, a mentalidade muda e seu estilo também. Não tem problema. Mesmo. Lembre-se: Moda é de dentro pra fora, não o contrário.

Cuidado ao dar uma de Fashion Police! Da mesma forma que você ri do coleguinha que pintou o cabelo de rosa e fez um coque samurai, alguém pode tirar sarro a sua cara por vestir uma legging colorida com um cropped com frase motivacional e florzinhas de aquarela. Esteja pronto(a) pra ver muita coisa, do bizarro ao normal... Afinal, a sua definição de bizarro ou normal é o mesmo do seu colega?

Escolhi cursar "Moda" por pura ironia. Fico feliz de, apesar dos perrengues e choros, ter trilhado esse caminho. Antes simplesmente a detestava por puro preconceito... Hoje não acho que moda é só vestir roupas e sair bem na foto do Facebook ou Instagram. Não é assim que funciona. A máscara uma hora cai, e todos enxergarão quem você é de verdade. Rede social é como mural de fotos: só coisas boas. Ninguém vê o que está por trás. Roupa não é máscara, é comunicação! Não adianta me vir com Louis Vuitton, achando que vai ser a solução para sua falta de caráter.
Dói muito quando descobrimos gente que tem gente que não pagaria um vale-refeição pelo nosso trabalho... Afinal, quem paga pra desenhar umas roupas, pregar um botão ou dar pitaco na roupa alheia da colega, né?

Quando comecei a estudar essa área, um universo novo se abriu e preconceitos foram quebrados e não só de roupas falamos. Falamos de sociedade, de filosofia, questionamento (pois é, questionamos mesmo), evolução do ser humano, história... O mais importante: falamos de pessoas, de personalidade, de indivíduos.

Fazemos roupas pra vender, mas não adianta nada uma roupa sem indivíduo. Adianta um vestido superficialmente bonito sem uma história por trás? Moda é de dentro pra fora... NUNCA ao contrário.

Texto escrito por alguém que, oficialmente (e finalmente), se formou na área ♥

Não leve pro lado pessoal se você não concorda com nada do que eu disse.
Tudo tem suas consequências, independente do caminho que escolher percorrer.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Oi, Agosto! Tô meio Midoriya esse mês

Oi! Tudo bem, tudo bom?

Agosto, enfim, começou! Olha que coisa! Mais uns 4 meses e estamos no Natal!
Aproveitaram as férias? Não tiveram férias? Não tive muitas novidades, como sempre. Mas aproveitei Julho pra folgar mesmo. Maratonei uns animes pendentes, desenhei, admito que não mandei nenhum CV (mas atualizei o mesmo), dormi até dizer chega. Fiz muitos "nadas".

Depois de alguns meses atordoandos (cof cof cof), resolvi voltar a rotina aos poucos finalmente, porém... Não sei o que fazer. Pareço aquela pessoa que voltou de viagem e quando volta, não sabe que horas são ou quantos dias se passaram. Eis que para resolver a situação, voltei aos velhos hábitos de: anotar tudo o que tenho que fazer no dia NO CADERNO (no celular eu procrastino por causa de Fire Emblem Heroes e não faço nada no fim das contas). Sei lá, mas parece que tudo flui, que lembro bem mais das coisas e não esqueço nada.

Agosto parece que tem mil dias. Ou isso é só coisa da minha cabeça (acredito que não, mas vai que estou louca)? Então, resolvi arregaçar um pouco as mangas e me desafiar um pouco. Comecei pelo mais simples: voltar a acordar cedo. É complicado alguém que fica muito tempo exposto aos computadores ou celular e cai na tentação de ficar acordada de madrugada no fim das contas. ARGH!